Silicone



Você sabia? Os silicones compõem uma grande família de elastômeros que se distinguem pela maneira como são processados ou pelo tipo de reticulação ( a quente ou a frio)em sua estrutura. Ao contrário da maioria dos outros polímeros que se originam da química do carbono, os silicones são à base de silício. Em forma de óleo, de líquido, de pasta, de goma ou de resinas, os silicones atuam em fluidos de absorção de choque, fluidos de aquecimento, vernizes, polidores, seladores, membranas flexíveis, agentes de desmoldagem e tintas. Eles aderem muito bem a si mesmos. Possibilitam a fabricação de moldes flexíveis (moldes de silicone) nas quais podem ser despejadas resinas de poliéster e epóxi. No entanto, para sua utilização, é necessário checar a compatibilidade entre materiais para evitar problemas de liberação do molde. Com certos silicones, também é muito fácil tomar o molde de objetos frágeis ou antigos, como estátuas, sem risco de danificá-los (silicones não esquentam e não aderem). Eles oferecem alta precisão para esse tipo de trabalho. Seguro para ser usado com alimentos e resistente a altas temperaturas, o material é ideal para a cozinha: formas de bolo, assadeiras, luvas de proteção, etc. estão disponíveis hoje em silicone. No entanto, os silicones são afetados pelo envelhecimento e pela sujeira. Pode ser obtida uma transparência leitosa ( que se amarela rapidamente), mas nunca será possível obter um silicone totalmente transparente. A rigidez dos silicones é medida pelo teste Shore ( durômetro) ou pela escala Rockwell. Pontos Fortes: excelente resistência ao calor ( -50ºC a 250ºC), antiaderência ( desmoldagem), bom isolamento elétrico, biocompatibilidade. Pontos Fracos: preço, durabilidade mediana, resistência medíocre a óleos e solventes. Referência: Materiologia: o guia criativo de materiais e tecnologia.

Marcadores
Matérias recentes