Cimento queimado


Esta matéria é apenas de caráter informativo. A TEM Arquitetura não fabrica, fornece ou executa produtos ou serviços relacionados ao cimento queimado.



Esta semana será dedicada aos pisos. Abordando um tipo de revestimento por dia, esclareceremos suas características, qualidades e/ou restrições e os locais indicados de uso. Acompanhe-nos e fique por dentro. Tipos de piso: Quais são e como escolher? Fazer a escolha do melhor piso para cada ambiente da casa não é tarefa simples e fácil. Deve-se levar em consideração alguns fatores como: o tipo de uso que o espaço terá, valor a ser investido e, é claro, o gosto pessoal . A qualidade do produto é também fator determinante. O ideal para não errar é consultar um arquiteto de confiança. Você pode solicitar uma consultoria, por exemplo. Os riscos de comprar um material de qualidade duvidosa são muitos: ele pode ser empenado – significa que não é alinhado, com irregularidades no centro ou nas pontas. Ou ainda pode ter falhas na tonalidade. A dica é verificar as referências da empresa e analisar o material assim que recebê-lo. Uma dica muito importante é a metragem na hora da compra, recomenda-se adquirir ao menos 10% a mais de revestimento para eventuais cortes, quebras, futuras reformas ou ainda caso o produto não esteja mais disponível no mercado na mesma textura ou tonalidade. A aplicação de qualquer tipo de piso dever ser feita por mão-de-obra qualificada. Cimento Queimado


Este tipo de revestimento oferece um visual rústico e contemporâneo. Mas tem lá suas controvérsias, pois as trincas são inevitáveis assim como o efeito manchado. Combinado com faixas de cerâmica, ladrilhos e pedras, ganha um charme a mais. Duas alternativas podem ser buscadas no mercado: o cimento polimérico ou as massas pré-fabricadas. Outra saída é a massa caseira, que pode ser preparada por um mestre de obras experiente. A vantagem do cimento polimérico é o aditivo que garante maior elasticidade e aderência do cimentado. Massas pré-fabricadas à base de pó de limestone ou de quartzo têm boa resistência a trincas. Há no mercado atualmente produtos que imitam o cimento queimado, em diferentes tonalidades e ,por possuírem aditivos e inibidores de retração, não trincam. Onde usar: Por não ter rejuntes e facilitar a limpeza, o acabamento de cimento queimado é muito apreciado em pisos e paredes de cozinha. No entanto, respingos constantes de gordura podem manchar o revestimento, uma dica é usar azulejos ou placas de inox próximas ao fogão. Cuidados (cimento queimado tradicional): - É normal aparecerem pequenas trincas, mesmo que o serviço seja muito bem feito; - Manchas também são características deste tipo de piso, e costumam ficar mais visíveis com o passar do tempo; - Quanto mais lenta a cura, menor a probabilidade de aparecerem trincas e rachaduras. A cura do cimento é o processo de secagem da massa; - Aplicar resinas com base acrílica por cima da massa ainda úmida é uma opção para retardar a cura do cimento; - Antes de aplicar o cimento queimado é importante que o contrapiso esteja limpo, desengordurado e sem pó. Caso haja trincas ou partes soltas, recomenda-se nivelar o contrapiso antes do processo; - Para atenuar as trincas é possível fazer juntas de dilatação em intervalos de até 1 m. Neste caso, plástico e metal são mais indicados, pois a madeira junta bactérias e fungos, e se deteriora; - Empregue areia fina, clara e lavada na mistura. Ajuda a dar um resultado mais homogêneo; - Para evitar manchas, é indicada a aplicação de duas demãos de verniz à base de água logo após a cura e antes do uso do piso; - O piso deve ser selado e impermeabilizado com resina. No caso de cimento colorido, é necessário um produto com filtro contra raios ultravioleta; - Sapatos podem marcar fácil o piso, mas as manchinhas saem com sabão, água e esponja; - Quando molhado, o piso de cimento fica escorregadio.

Marcadores
Matérias recentes