Hall de entrada

 

 

A decoração das áreas comuns costuma ser tratada, em muitos prédios, como um assunto menor, que merece pouca ou nenhuma importância. É um erro do condomínio, já que um hall de entrada apresentável valoriza o imóvel.

O hall não é um local indicado para a permanência de pessoas, sejam moradores ou visitantes. Mas, é o hall que identifica o estilo de um prédio. Em hipótese alguma, o hall pode ter uma imagem de desleixo ou má conservação, pois é a partir dele que temos a impressão de que o edifício foi bem construído e que suas instalações estão em perfeitas condições.

Antes de escolher qualquer material para a decoração do hall, é fundamental definir o perfil do prédio e de seus moradores. O ideal é usar pisos cerâmicos e materiais mais duráveis e fáceis de limpar. Prédios sofisticados costumam ostentar uma decoração sóbria e requintada. De qualquer maneira, na decoração de um condomínio, é difícil agradar a todos. Por isso o papel do arquiteto é escutar os condôminos, saber qual a expectativa deles com relação ao trabalho e elaborar uma proposta que contemple as necessidades funcionais e estéticas. Sugere-se, quando se trabalha com condomínios, nomear uma comissão de moradores para acompanhar o trabalho do arquiteto, e essa tem o papel de orientá-lo quanto aos anseios dos condôminos para garantir que o resultado fique de acordo com o esperado.

Portanto, se está na hora de renovar os espaços comuns do seu condomínio, ou ainda, se o prédio é novo e foi entregue pela construtora sem móveis (o que é muito comum), converse com seu síndico e sugira a contratação de um serviço profissional para qualificar essas áreas.

Se tiver dúvidas, entre em contato conosco e saiba como funciona a nossa prestação de serviços de arquitetura para condomínios.

Please reload

Please reload

Please reload

Marcadores
Matérias recentes